Daily Archive Janeiro 11, 2018

Forças Armadas ficarão no RN em caso de necessidade

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, informou nesta quinta-feira (11) que, após o fim da greve das polícias do Rio Grande do Norte, mil homens das Forças Armadas ainda permanecerão no estado, em condições de “pronto emprego” para o caso de necessidade.

“1.000 militares permanecerão lá, em condições de pronto emprego, caso se faça necessário e o presidente determine. Missão cumprida”, completou.

Reportagem do Globo destaca Alcaçuz com superlotação e falta de agentes

A seguir uma parte da reportagem, feita por Aura Mazda

Nísia Floresta (RN) – Um ano após o massacre que deixou 26 mortos com corpos esquartejados no presídio de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, ainda há no local estruturas destruídas e pavilhões sem uso. Superlotada, a cadeia abriga o dobro da quantidade de presos que tinha há 12 meses: atualmente são 2.100 presidiários.

Os presos de facções rivais – Sindicato do Crime e Primeiro Comando da Capital (PCC) – que se digladiaram durante a matança de janeiro, hoje dividem as mesmas celas. De lá para cá, não houve homicídio na unidade.

Durante pouco mais de duas horas na manhã ensolarada da última segunda-feira, O GLOBO acompanhou a nova rotina de Alcaçuz.

O secretário estadual de Cidadania de Justiça (Sejuc), Luís Mauro Albuquerque, participou da visita com a equipe.

Destruído quase por completo após a rebelião de janeiro, o complexo recebeu uma obra emergencial de R$ 3 milhões, paga pelo governo estadual, para recuperação dos cinco pavilhões, incluindo a Penitenciária Estadual Rogério Coutinho Madruga.

Os únicos reformados e que receberam presos foram os pavilhões 1 e 3 — cerca de 1.050 homens ocupam o local.

Reformado para dar melhores condições de controle aos agentes penitenciários e menor possibilidade de motins, o pavilhão 2, com capacidade para 400 presos, abriga somente os colchões novos, adquiridos no ano passado.

Não há presos nas 14 celas, com telhado e pitura novos.

Faltam agentes penitenciários: aprovados em concurso, eles esperam a formação no curso de tiro para assumir os cargos. A previsão do governo é que o pavilhão seja reativado até maio, data também apontada para que a Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária deixe o presídio.

O aparente controle retomado dentro da unidade é justificado pelo secretário como resultado do método utilizado e não baseado na quantidade de agentes penitenciários.

“Transformamos o uso da força dentro da unidade. Fomos nos especializando nessa área. Criamos uma doutrina de controle do sistema penitenciário, fui aumentando o filtro”, diz Luiz Mauro, que responde objetivamente quando é questionado sobre a superlotação dentro da unidade. “Não trabalho com lotação e sim com segurança”.

Em uma demonstração do que seria uma ação de controle em casos de motim, o secretário e o diretor de Alcaçuz, Ivo Freire, explodem duas granadas no pátio vazio do pavilhão 2. E afirmam que a falta de reação ou demonstração de surpresa por parte dos presos mostra que hoje há controle. Em outros tempos, dizem, haveria gritaria.

Todos os projetos sugeridos pelo Governo vão passar por Comissões da AL antes de serem votados

A Assembleia Legislativa iniciou hoje (11) a tramitação de projetos durante convocação extraordinária feito pelo governador do Estado, Robinson Faria, para a apreciação de 18 mensagens governamentais que configuram o chamado ‘ajuste fiscal’.

Com a convocação, a Assembleia Legislativa inicia o trabalho legislativo de 2018 em caráter extraordinário, em razão das matérias associadas ao pedido de convocação. Entre os projetos estão a instituição de regimes de previdência; revisão de plano de carreiras; impedimento sobre aumentos salariais; planos para renegociação de financiamento de dívidas; compensação de duodécimos dos poderes e outros.

A próxima sessão – dentro do cronograma de funcionamento extraordinário da Assembleia Legislativa – deverá ser na próxima semana quando poderão ser votados os projetos já avaliados pelos parlamentares nas comissões.

Todo o trabalho do Legislativo em período extraordinário não tem ônus financeiro, já que os deputados estaduais e servidores não recebem qualquer tipo de subsídio em caráter indenizatório, o que é vedado pela Constituição Estadual em conformidade com a Constituição Federal.

Plenário da Assembleia do RN Foto: Reprodução

Bloco Se Brincar eu Pego lança 1º lote de camisetas

O Carnaval tá chegando e quem gosta já está se programando. Frevo, marchinhas carnavalescas, gente bonita e muita diversão combinam com carnaval e bloco de rua. E este ano, mais uma vez, Ponta Negra vai receber o bloco Se Brincar eu Pego, que estará em seu terceiro ano consecutivo fazendo a alegria do domingo de Carnaval em Natal. O bloco é o único que oferece bebidas (água, cerveja geladíssima e whisky) gratuitas durante o percurso do bloco.  

 

O lançamento do primeiro lote de camisetas acontece na segunda-feira (15) e segue até a sexta-feira (19), na loja Tereza Tinôco (Av. Afonso Pena, 881 – Tirol), no valor de R$ 80,00 a unidade.

 

O Bloco Se Brincar eu Pego terá seu terceiro ano no carnaval de Natal, e tem como tradição um repertório marchinhas e muito frevo. O bloco sai no domingo de carnaval pelas ruas de Ponta Negra. O bloco este ano conta com o patrocínio da Prefeitura de Natal, através da Lei Djalma Maranhão, e apoio da Interfort Segurança, Livraria Escola&Escritório, Natal Palace Hotel e Armação Propaganda. 

 

Serviço:

O que: Lançamento do 1º lote de camisetas do Bloco Se Brincar eu Pego

Dia: Segunda a Sexta (15 a 19/01)
Horário: 12h às 18h
Onde: Loja Tereza Tinôco (Av. Afonso Pena, 881 – Tirol)

Valor: R$ 80,00

Imagem: Divulgação