Daily Archive dezembro 27, 2017

Hemotion White Party 2018 será no Espaço DiTrento e terá transfer gratuito

Para comemorar 12 anos de história da White Party, a Hemotion decidiu subir de nível: escolheu um local digno de uma noite inesquecível. O evento será no Espaço DiTrento, em Pium. Um ambiente de tirar o fôlego, com todos os detalhes pensados para que a primeira festa de 2018 seja lembrada pelos próximos 12 meses.

Para garantir o conforto do público, a Hemotion disponibilizará transferes gratuitos de ida e volta da Praia de Pirangi ao local do evento. Também será oferecido o serviço de motorista da rodada a um valor acessível, por R$ 30 para Pirangi e R$ 70 para Natal. O local de partida das vans será divulgado em breve. Para mais informações do serviço de motorista da rodada e reservas basta entrar em contato com a Premium Manobristas (84. 98852-4121).

A edição 2018 da Hemotion White Party, festa que movimenta o litoral potiguar há 12 anos, está dando o que falar. Para esse ano, a label promete ainda mais novidades que prometem superar as expectativas do público de todo o Brasil que participará da noite de celebração. Além dos melhores serviços, conforto e muita gente bonita, já estão confirmadas as atrações do line-up. A programação terá Zeh Pretim, Israel Novaes, Zerb, Ralk e Dubdogz. O Super Open Bar Premium também já foi divulgado e promete ser mais uma vez um dos grandes destaques.

Como não poderia ser diferente, a carta de bebidas da edição exclusiva “Gold Memories” no dia 19 de janeiro terá as melhores marcas para o público ter uma noite inesquecível. A Hemotion White Party 2018 será regada a cerveja Eisenbahn, Whisky Chivas 12 anos, Vodka Absolut, Gin Beefeater & Tônica Schweppes, Espumante Mumm, Santropa Rosé, Aperol, Energético Red Bull, Água de Côco, Refrigerantes, Sucos e Água mineral. O padrão que já é tradição da festa: uma super equipe de barmans e o serviço exclusivo de garçons volantes!

As vendas estão acontecendo em Natal, na A Graciosa (Midway e Natal Shopping) e na Twenty Four Seven (av. Afonso Pena); em João Pessoa, no restaurante mais badalado da cisade, o Hao (83. 99175-6477); e em Recife, com Ricardo Souza Leão (81. 98765-3336), além de comissários. As vendas online são no http://www.hemotionwhite.com.br/. Siga o perfil oficial da festa no Instagram @hemotionwhite/ e acompanhe todas as novidades.

O lindo Espaço DiTrento será palco da 12ª White Party

Serviço:
Hemotion White Party 2018
Atrações: Zeh Pretim, Israel Novaes, Zerb, Ralk e Dubdogz. 
Dia: 19.01 (sexta)
Local: Espaço DiTrento, Pium
Vendas: Natal, na A Graciosa (Midway e Natal Shopping) e na Twenty Four Seven (av. Afonso Pena); em João Pessoa, no restaurante mais badalado da cisade, o Hao (83. 99175-6477); e em Recife, com Ricardo Souza Leão (81. 98765-3336). 
Vendas online: http://www.hemotionwhite.com.br
Informações: @hemotionwhite/ 

Governadores do Nordeste enviam carta a Temer contra declarações e “chantagens” de Marun

Governadores de estados do Nordeste enviaram uma carta pública ao presidente Michel Temer em protesto às declarações do ministro-chefe da Secretaria de Governo, Carlos Marun. Em entrevista na última terça-feira, ele admitiu que o governo só irá liberar financiamentos de bancos públicos, como da Caixa Econômica Federal, a governadores que convencerem suas bancadas federais a votarem pela reforma da Previdência na Câmara.

O documento foi assinado pelos governadores dos nove estados do Nordeste: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Nele, os governantes prometem acionar política e judicialmente os agentes públicos envolvidos caso a “ameaça” de Marun se comprove. No documento, eles pedem a Temer que “reoriente” seus ministros para que sejam evitadas práticas classificadas como “criminosas”.

Diz parte do texto: “Os governadores do Nordeste vêm manifestar profunda estranheza com declarações atribuídas ao Sr. Carlos Marun, ministro de articulação política. Segundo ele, a prática de atos jurídicos por parte da União seria condicionada a posições políticas dos governadores. Protestamos publicamente contra essa declaração e contra essa possibilidade e não hesitaremos em promover a responsabilidade política e jurídica dos agentes públicos envolvidos, caso a ameaça se confirme.”

Governadores do Nordeste enviam carta a Temer contra declarações e “chantagens” de Marun

E continua: “Vivemos em uma Federação, cláusula pétrea da Constituição, não se admitindo atos arbitrários para extrair alinhamentos políticos, algo possível somente na vigência de ditaduras cruéis. Esperamos que o presidente Michel Temer reoriente os seus auxiliares, a fim de coibir práticas inconstitucionais e criminosas”, diz a carta.

Questionado durante entrevista coletiva que concedeu no Palácio do Planalto, Carlos Marun negou que o governo, ao invés de convencer os governadores com argumentos favoráveis à reforma, o esteja fazendo por meio de chantagens. Mas admitiu que espera deles reciprocidade na liberação dos financiamentos públicos. “Financiamentos da Caixa Econômica Federal são ações de governo. Senão o governador poderia tomar esse financiamento no Bradesco, poder tomar não sei aonde. Obviamente, se não na Caixa Econômica, no Banco do Brasil, no BNDS, são ações de governo. E nesse sentido entendemos que deve sim ser discutida com esses governantes alguma reciprocidade no sentido que seja aprovada a reforma da Previdência que é uma questão que nós entendemos hoje de vida ou morte para o Brasil.”

A reforma da Previdência está prevista para ser colocada em votação no plenário da Câmara em 19 de fevereiro, logo depois da semana de Carnaval. O governo enfrenta dificuldades de garantir os 308 votos favoráveis às mudanças previdenciárias já os deputados federais, às vésperas das eleições em que tentarão um novo mandato, não querem se indispor com categorias de eleitores.

Confira a íntegra da carta dos governadores enviada ao presidente Temer:

Os governadores do Nordeste vêm manifestar profunda estranheza com declarações atribuídas ao Sr. Carlos Marun, ministro de articulação política. Segundo ele, a prática de atos jurídicos por parte da União seria condicionada a posições políticas dos governadores. Protestamos publicamente contra essa declaração e contra essa possibilidade e não hesitaremos em promover a responsabilidade política e jurídica dos agentes públicos envolvidos, caso a ameaça se confirme. Vivemos em uma Federação, cláusula pétrea da Constituição, não se admitindo atos arbitrários para extrair alinhamentos políticos, algo possível somente na vigência de ditaduras cruéis. Esperamos que o presidente Michel Temer reoriente os seus auxiliares, a fim de coibir práticas inconstitucionais e criminosas.

Governadores do Nordeste“.

Por Hédio Júnior/RM

Cards Against Humanity ganha versão brasileira

João amava Teresa que amava… Asfixia autoerótica?! Não é bem assim que o famoso poema segue, mas essa é uma dentre milhares de combinações oferecidas pelo Patuscada (www.patuscada.bar), jogo de cartas brasileiro inspirado no americano Cards Against Humanity, líder mundial de vendas da Amazon na categoria. Por meio da combinação de perguntas com as respostas mais esdrúxulas possíveis, a ideia é criar cenários absurdos, engraçados e até politicamente incorretos.
O jogo é indicado para grupos de quatro a doze pessoas. Cada um começa com 10 opções de respostas. Em turnos, os jogadores sacam uma carta da pilha e leem a questão para os amigos, que, em seguida, devem fazer uma combinação com as cartas que possuem. Quem fez a pergunta escolhe o cenário mais interessante, cômico, bizarro ou polêmico e o responsável por ele ganha um ponto. Ao final, quem pontuou mais é o vencedor. “Teoricamente, o jogo acaba após alguém fazer dez pontos, mas em geral as pessoas decidem continuar a brincadeira”, diz Raphael Teixeira, um dos criadores do Patuscada.
Raphael mora nos Estados Unidos e conheceu o Cards Against Humanity por lá. Para ele, o teor ácido do jogo funciona como uma ferramenta para perfurar a rigidez dos tabus norte-americanos e brincar abertamente com isso. “No Brasil, essa necessidade não existe e a irreverência de um card game semelhante encontra ressonância no nosso humor”, avalia.
Para trazer um gosto local ao jogo, as cartas do Patuscada são recheadas de referências à cultura, política e memes brasileiros – há planos, inclusive, de lançar expansões focada em particularidades regionais do país. E, em tempos de polarização ideológica exacerbada, vale destacar que há possibilidade de rir de quaisquer lados ou pontos de vista de maneira igual. “É um jogo polêmico, mas nossa ideia é criar um universo onde as pessoas, por um momento, se divirtam com um humor negro, sendo mais ácidas o possível”, afirma Raphael.
O Patuscada tem 550 cartas – 90 de perguntas e 460 de respostas. O jogo custa R$ 99. Em fase de pré-venda, pode ser adquirido com 25% de desconto no site oficial por meio do código promocional ‘queropatuscada’.
Inspirado no jogo americano, Patuscada combina perguntas e respostas de diversas situações

Deputado federal Fábio Faria consegue reunião com Presidente Michel Temer

Após o veto da ajuda financeira de R$ 600 milhões que seria enviada, o deputado federal conseguiu um espaço na agenda do presidente Michel Temer para conversar sobre a ajuda financeira ao Estado.

“Saio com convicção de que teremos boas notícias para o nosso RN”, escreveu entusiasmado.

Foto: Reprodução

Outra pesquisa confirma que Magnólia é a única alternativa a Alves e Maias para o Senado

Na pesquisa, divulgada ontem, 26 de dezembro, realizada pelo Instituto Setaa pedido do Agora RN, foram entrevistadas 600 pessoas em Natal entre os dias 20 e 22 de dezembro.
O levantamento Agora RN/Seta mostra que, o primeiro voto:
José Agripino MAIA 8,8% das intenções
Zenaide MAIA (PR), com 7,3%. 
Garibaldi ALVES Filho, com 6,5%; 
Carlos Eduardo ALVES (PDT), com 5%
Magnólia Figueiredo (SD), com 3,5%;
Esta é a segunda pesquisa, em menos de 15 dias, que consolida o nome de Magnólia como a principal alternativa contra os Alves e Maia no Senado. Antes dessa, o mesmo jornal havia divulgado uma pesquisa da poderosa Fiern onde também colocava Magnólia atrás apenas dos nomes
das máquinas oligárquicas estaduais.